A internet é uma boa forma de passar o tempo mas não é a única forma de passar a vida

12.8.05

Mulheres!...






     


  «Se pudéssemos viver sem elas, sem dúvida omnes ea molestia careremus; mas uma vez que os deuses decidiram que não se pode viver sem elas, nem com elas conviver racionalmente, não nos resta senão fechar os olhos e pensar no bem do Império.»

Catão

  A importância da mulher na sociedade é muito mais importante do que as considerações de Catão fazem prever. Antigamente o papel social da mulher era fundamentalmente a procriação. Os homens matavam os animais e as mulheres tomavam conta dos filhos, cozinhavam e tratavam dos afazeres da casa. Com tal perfeição o fizeram que a espécie humana se desenvolveu e se espalhou por todo o globo.

  Hoje a mulher tem um papel na sociedade diferente do passado. Sem esquecer o papel de mãe entrou nos domínios outrora dominado pelos homens e, se em algumas regiões foi bem sucedida noutras continua a ser vítima de ostracismo.

  Mas há uma faceta que nunca foi alterada através dos tempos na mulher, os cuidados a ter com a sua beleza. Seja em que sociedade humana for e em qualquer época, todas tiveram ou têm os seus padrões específicos de beleza. Com a alteração da cor do cabelo e dos olhos, do tamanho dos seios, do pescoço, como na Birmânia, dos pés (ver o tema Cinderela) e da boca, como certas tribos na Etiópia, as mulheres procuram com essa atitude tornarem-se sexualmente mais atraentes.

  O historiador romano, Plínio o Velho, aconselhava leite de burra para a pele resplandecer de juventude: as mulheres saudáveis devem banhar-se nele «até sete vezes por dia», para tratamento de sinais, a aplicação de placenta de vaca (ainda quente), ou uma mistura feita de genitais de vitela dissolvida em vinagre com enxofre. Hoje os banhos são outros e a placenta vem em pomadas, mas a finalidade é a mesma, tornar a mulher bela.

  Outro aspecto são os pêlos que, na maioria dos casos, não são atraentes para os homens e as mulheres sabem que uma pele limpa e macia pode ser o suficiente para conquistar as atenções.

  Na antiga Grécia, em 2000 a.C., as mulheres gregas arrancavam os pêlos com as mãos, ou queimavam-nos com cinzas quentes sobre a pele. O primeiro instrumento usado na depilação, o Estrigil, foi adoptado pelas mulheres romanas. As mulheres passavam no corpo uma pasta à base de vegetais, cinzas e a argila, raspando posteriormente a pele com o Estrigil.

  Os egípcios foram, por seu turno, os primeiros a utilizar o extracto de sândalo, a argila e a cera de abelhas, ingredientes que dariam origem à depilação com cera tão em voga entre nós.

Hoje, além da cera, utilizam a lâmina e o raio laser para esse fim

  Cada vez mais a beleza individual da mulher desempenha um papel fundamental na procura de parceiro, embora um rosto mais atraente não signifique melhor mãe, melhor companheira comparada com outra de rosto vulgar. Vulgares serão um dia todos os rostos que de uma forma ou de outra foram alterados e parecem terem saído todos da mesma clínica.




Sem comentários: