A internet é uma boa forma de passar o tempo mas não é a única forma de passar a vida

10.12.16

Mar Eterno

Esta morna que faz parte do meu tempo e das minhas memórias de menino e moço e a quem pego o título e faço um pseudo-poema em nov1975 a essa morna dedicada.

Ó Mar Eterno, mar eterno
Que desde o início dos tempos perduras
Canta-te em "Odisseia" Homero
Heróis de fantásticas aventuras

E nas noites de tempo lançado
Quero-te ouvir Ó Mar Eterno,
Numa voz de hoje cantado.
Na melancolia deste Inverno

No holocausto deste Inferno,
Lava as chagas deste ser desmembrado,
Que na terra foi lançado
Pelo ventre materno.

Encerras dentro de ti
A solução deste planeta incerto,
De um passado que não vi,
De um futuro, estranhamente perto

Se a guerra acabada,
Um Homem não existir então,
Gera outro com a Terra amada,
E inicia uma nova geração.

Uma nova geração, oh mar
Que só saiba o que é o amor!...
Pois esta fez o seu lar,
Sobre o ódio, egoísmo e dor.

... e nesse novo mundo amigo
traz-me de novo contigo.

Nov. 1975

Mário Lima

Uma morna nunca esquecida mas também nunca mais ouvida. Hoje voltei a ouvir e na voz que me ficou sempre na memória, Mário de Melo.


Eleutério Sanches

Sem comentários: