A internet é uma boa forma de passar o tempo mas não é a única forma de passar a vida

22.11.05

A Escolha!...





  Sendo um autodidacta, sempre que tento fazer algo de novo, que não esteja dentro dos meus conhecimentos, lá vou eu pesquisar aqui e ali e, pouco a pouco, vou dando corpo àquilo que pretendo. Mais uma vez assim aconteceu com o «Sons de Estrelas», nova rubrica que apresento do teu lado esquerdo do écran.

  Nessa procura fui dar com um site muito engraçado que me fez sorrir e ao mesmo tempo pensar como afinal é fácil aumentar as visitas ao nosso blog. É só fazer-se desgraçadinho.

1ª Dica:

  1) Seja depressivo. Veja sempre o lado ruim das coisas. Sempre que possível, deixe bem claro o quão solitário é... mostre ao mundo quanto toda essa mediocridade a sua volta o deprime. Uma boa dica para o blogueiro deprimido é passar alguns períodos sem colocar nenhuma mensagem... isso gera certa apreensão mórbida no seu público leitor.

  Os meus temas por vezes têm este lado da solidão, não para aumentar as visitas mas sim como estados de alma pois os mesmos já foram escritos há muito tempo num outro local. Agora, perante esta dica, vou ser useiro e vezeiro neste aspecto, quase até ao limite e, assim, não faltarão as palavras de consolo, uma preocupação permanente pelo meu estado de saúde e “voilá” o meu blog terá mais comentários do que possa imaginar pois toda a gente gosta de consolar e ser consolado. Isto é como nas doenças, se digo que me dói um joelho logo alguém dirá que para além do joelho também lhe dói o tornozelo e a omoplata. Não há povo mais doente que o nosso, cada um de nós está sempre bem pior que o outro, somos um país depressivo.

2ª Dica:

  2) Seja neurótico. Ser neurótico é chique. Pessoas não neuróticas tendem a ser obesas, lentas e passivas. Já os neuróticos reagem com maior intensidade às adversidades. Mesmo que não sejam exactamente adversidades. Para mostrar-se um blogueiro neurótico fervoroso, deixe bem claro o quanto as pequenas coisas o irritam. O trânsito… os funcionários públicos… os empregados do Mac Donalds...

  Aqui é que a porca torce o rabo para mim. É que não tenho muito feitio para criticar seja quem for mas sabe-se lá com um pequeno esforço sou capaz de lá ir e, sendo assim em vez de 8900 visitas (2000 são minhas que sou narcisista) e de meia dúzia de comentários passarei a ter 6900 comentários (não se esqueçam que 2000 visitas são minhas e eu não vou comentar o que faço, não é? Ou talvez o faça… se sou neurótico!). Até vou chorar ao sentir o prazer que as pessoas têm em comentar a minha neurose.

3ª Dica:

  3) Seja crítico. Sim... critique tudo! Desde o processo de globalização até a peça de teatro infantil da filha da enteada da sua vizinha. Para poder posicionar-se perfeitamente como um blogueiro crítico de primeira é importante saber que existem dois tipos básicos... os que criam... e os que criticam. Caso você não se encaixe no primeiro caso. Não vacile. Caia de cabeça no segundo.

  Se cair de cabeça é contra quem mal nos governa, pois já Júlio César dizia que havia um povo na Hispânia que não governa nem se deixa governar, ou seja é um país à deriva, tipo «Jangada de Pedra» de Saramago. (e esta crítica, hem!... )

4ª Dica:

  4) Seja sensível. Não adianta ser um intelectual sem coração. Mostre que você tem sentimentos. Você é um ser humano... você pensa... e justamente por pensar... você chora. Chora pelos corais do Pacífico. Chora pelo o que a sociedade tornou o Castelo Branco. Chora pelo amor não correspondido à vizinha do terceiro esquerdo. Chore apenas por coisas irreparáveis, caso contrário sua sensibilidade terá sido em vão.

  Gostei desta dica. Toda a gente chora e porque não eu? Se algum tema me deixar com a lágrima no canto do olho direi que gastei um rolo de papel higiénico para limpar as lágrimas que corriam em caudal pelas minhas faces. Logo não faltarão as palavras de consolo e assim os meus comentários subirão em flecha tal como um dia subirão os aviões no Aeroporto da Ota. Um país pobre com barriga de rico, somos o riso da Europa.

 Depois de ler tudo o que escrevi, verifico que infelizmente não tenho feitio para escrever aquilo que não sinto. Tenho que me render à evidência e ficarei satisfeito em saber que aquilo que escrevo tem pelo menos um leitor… tu. Obrigado!


P.S. Dicas brasileiras adaptadas por mim à realidade portuguesa.


Sem comentários: